Ídolo português quase foi parar no Vasco

Eusebio reprodução BenficaO Vasco da Gama na década de 70 quase contratou um dos maiores ídolos do futebol de Portugal, país com quem o clube tem laços históricos muito fortes. O Pantera Negra, ou Eusébio, quase atracou a caravela em São Januário, mas por falta de acordo financeiro acabou ficando em Portugal.

Em 1970, o Benfica não atravessava bom momento e Eusébio também não. A seleção Portuguesa não conseguiu se classificar para a copa do mesmo ano (vencida pelo Brasil) – quatro anos antes, Portugal foi terceira colocada no Mundial e o Pantera Negra foi o artilheiro da competição com nove gols. Os torcedores do Benfica – clube onde Eusébio é ídolo – já não estava contente com as atuações do atacante e os torcedores estavam impacientes com o atleta.

O presidente do Vasco na época, Agatyrno da Silva Gomes, cruzou o oceano tentando trazer na caravela um excelente reforço para o ataque Cruzmaltino. Eusébio deu até entrevistas e disse que, se fosse um bom negócio para ele e para o clube, toparia sim jogar no Brasil. Mas a oferta levada na bagagem ficou abaixo do que os dirigentes portugueses esperavam e a negociação não deu certo.

Por um empréstimo de seis meses do Pantera Negra, o Benfica pediu quatro milhões de escudos, a antiga moeda portuguesa, o que equivaleria hoje a algo em torno de R$ 225 mil, sem correção monetária. Mas o Vasco só podia pagar cerca de três milhões de escudos (cerca de R$ 170 mil), e ainda haviam luvas, salários e premiações. Sem acerto com o ídolo português, o Vasco apostou as fichas em outro atacante, mas não com o mesmo prestigio e futebol que Eusébio. O atacante Silva, o Batuta, comandou a caravela cruzmaltina campeã carioca de 70, título que o clube não conquistava havia 12 anos. O título amenizou os ânimos vascaínos e fez a torcida esquecer a história da contratação do maior ídolo do futebol português, Eusébio.

O atleta

Eusébio nasceu em 25 de Janeiro de 1942 e começou a carreira no Sporting Lourenço Marques. Em 1960 se transferiu para o clube onde faria história, o Benfica, onde disputou 614 jogos. O atleta também passou por clubes do futebol americano, mexicano e canadense, mas nenhuma agremiação o marcou tanto como os Encarnados. Na carreira, segundo dados, o atleta marcou em 23 anos de futebol 766 gols em 749 jogos. Eusébio morreu em 5 de Janeiro de 2014 aos 71 anos.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s